Estudante cria versão analógica do game Donkey Kong (vídeo)

Estudante cria versão analógica do game Donkey Kong (vídeo)

Diversos versões analógicas de jogos de videogame já passaram aqui no blog, como aquele game de corrida feito de papelão chamado Racer, aquela versão do game Pong e Pac-man criada com carros de verdade e até mesmo uma versão analógica do game Tetris. Hoje mais um game entrará para a nossa coleção, o game Donkey Kong do antigo console NES.

Martin Raynsford é o estudante por trás do projeto. Todo o cenário do game é controlado por um controlador Arduino e as peças do cenário foram cortadas e preparadas por uma máquina de corte a laser. No game original o herói Super Mario tinha que subir um prédio desviando de obstáculos e dos barris para resgatar a princesa das mãos de Donkey Kong, mas esta versão de Martin é diferente, ao invés de barris a máquina libera esferas de aço.

Estudante cria versão analógica do game Donkey Kong (vídeo)

O problema é que Martin ainda não terminou seu projeto, no vídeo vemos apenas o Super Mario saltando as esferas, faltou ainda terminar o mecanismo que possibilita que ele se movimente pelas rampas. De acordo com o criador após concluído o sistema todo poderá ser controlado pelo controle do NES, o que vai deixar a brincadeira ainda mais interessante. Mais detalhes e imagens sobre o “jogo analógico” de Martin pode ser encontrado em seu blog neste link.

[Via]

Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
AUTOR

2 respostas

  1. Criação muito inteligente! Se o jogo Donkey Kong já pode ser considerado um retrô, isso talvez seria o retrô do retrô? Rsrs.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • • veja também:

  • AUTOR

    2 respostas

    1. Criação muito inteligente! Se o jogo Donkey Kong já pode ser considerado um retrô, isso talvez seria o retrô do retrô? Rsrs.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • • veja também: