Cientistas Criam Músculo Artificial Forte Como o Aço e Flexível Como a Borracha

Músculo Artificial

Pesquisadores da Universidade do Texas anunciaram a criação de um “músculo artificial”, feito de nanotubos de carbono (foto). A equipe, liderada pelo pesquisador Ray Baughman, produziu uma fórmula mais forte que o aço, leve como o próprio ar e mais flexível do que a borracha.

O músculo artificial poderá ser usado em um futuro próximo, por exemplo, na criação de membros ou de pele humana , estruturas físicas versáteis ou até mesmo robôs super resistentes. Segundo o website Wired, no princípio sua aplicação será apenas em painéis de energia solar ultra eficientes, com nanotubos usados para criar os arranjos mais adequados para captar a luz.

Segundo Baughman, o novo músculo artificial é 30 vezes mais forte do que o músculo humano. Os nanotubos de carbono fascinam os Cientistas de materiais desde sua descoberta em 1990, quando os pesquisadores começaram a explorar sua ultra-força e ultra-leveza de suas moléculas cilíndricas.

Nanotubos similares ao do músculo artificial já eram encontrados em peças de bicicletas, protótipos de aviões, coletes à prova de balas e em transistores. Após várias tentativas, criaram a última versão do músculo artificial da equipe de Baughman, que é feito com nanotubos alinhados verticalmente que respondem à eletricidade. Os músculos artificiais criados por ele se contraem e expandem com tremenda velocidade, tornando-se extremamente rígidos.

As descobertas do cientista foram publicadas na última edição da revista Science.

Curte ciência? Confira nossa sessão com vários outros posts sobre Ciência!

Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
AUTOR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • • veja também:

  • AUTOR

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • • veja também: