anel-noivado-led-acende-ben-kokes

Anéis com LEDs que se acedem existem aos montes por aí, mas este aí de cima é diferente porque não se acende por qualquer motivo, só quando “aquela pessoa especial” está por perto, bem perto aliás. Quem teve a ideia de criá-lo é o engenheiro e joalheiro Ben Kokes. O anel criado por ele foi dado para sua noiva Julie.

Além de contar com sua experiência e dom em criar jóias, ele precisou aplicar em seu projeto também conceitos de eletrônica. Apesar de parecer ser algo simples de ser feito, o projeto não foi tão fácil assim de sair do papel. Para que os LEDs se acendam, o anel precisa literalmente de um “sensor de presença”.

anel-noivado-led-acende-ben-kokes_2

Daí então pensamos: Em um objeto tão pequeno, onde fica a bateria? É aí onde está o segredo, o anel criado por Kokes não tem bateria, ele se acende por indutividade. Os LEDs ficam presos em uma bobina e a um condensador e precisam de uma fonte externa de magnetismo para que se acendam, é aí que entra o “player 2” no jogo.

Kokes construiu um bracelete (esta parafernália aí da imagem de cima) capaz de gerar este campo magnético. Então quando sua mão (com o bracelete) se aproxima da mão de sua noiva (com o anel) os LEDs se acendem. Veja a seguir um vídeo com uma demonstração dos LEDs se acendendo quando o anel se aproxima do campo magnético da pulseira.

Pode parecer meio esquisito a princípio usar uma bugiganga daquelas no braço, mas tudo no início é grosseiro, com certeza com um pouco mais de trabalho daria para se criar uma outra pulseira, menor e mais bonita. Curtiu a ideia? Encontre mais detalhes sobre como o anel de Kokes foi construído em seu site neste link.

[technabob]

veja também:
comentários

Curtiu? Acompanhe o
ROCK'N TECH no Facebook!