Desde que foi lançado em fevereiro deste ano no Japão, o Nintendo 3DS não estava alcançando as espectativas da fabricante com seu volume baixo de vendas. Quem já experimentou jogar no aparelho sabe que a sensação de se jogar em um portátil com gráficos convincentes e em 3D sem precisar usar óculos é inigualável. Quando testei, durante todo o tempo tive a impressão de estar olhando para dentro de uma caixa de vidro com bonecos se mexendo por todas as direções dentro dele. O maior pecado do aparelho e o que provavelmente tenha sido o motivo do seu fracasso – além do display consideravelmente pequeno – é o seu preço, que até então lá fora custava US$ 250. Para se ter uma ideia, comprei meu Nintendo Wii nos EUA por US$ 199 e, por este motivo, apesar de ser fanboy da Nintendo também estava do lado dos que acharam o preço do portátil um absurdo de caro. Sabemos que não encontramos uma tecnologia 3D sem óculos em qualquer portátil, mas infelizmente você leitor há de concordar comigo: na maioria das vezes o bolso fala mais alto. Então a Nintendo resolveu tomar uma atitude drástica, derrubando seu preço para US$ 169.99. Qual foi o resultado?

Esta seria a grande salvação da Nintendo antes que o portátil se tornasse um fracasso como já aconteceu com outros portáteis a empresa no passado. Parece que a receita deu certo, pelo menos no Japão.

Vamos voltar no tempo: Logo no lançamento a empresa vendeu 371.326 portáteis no Japão, mas não conseguiu se manter na crista da onda devido ao alto preço do portátil e graças à escassez de games clássicos como aqueles com o tema Super Mario e Zelda por exemplo. Então lançou The Legend of Zelda: Ocarina of Time 3D e isso ajudou a impulsionar as vendas do 3DS em junho, mas ainda não atingiu o mesmo sucesso conquistado pelo DS.

Voltando ao presente, de acordo com a editora japonesa Enterbrain que acompanha o mercado de jogos no Japão, 214.821 portáteis 3DS saíram das prateleiras para as mãos dos consumidores logo na primeira semana após o corte drástico no preço – a semana de vendas com os maiores índices desde o lançamento.

Parece que agora o vento está a favor da Nintendo, mas ainda acho que alguns jogos precisam ser lançados o mais rápido possível, como Mario Kart 7 e Super Mario 3D Land entre outros. Afinal quem compra um console da Nintendo não compra por acaso, compra porque também quer jogar games com o encanador bigodudo, mesmo que esta receita não ajude a impulsionar ainda mais as vendas do 3DS, correto?

Todos nós sabemos ou já ouvimos dizer que a Sony prepara o lançamento do sucessor do seu portátil PSP, o PS Vita, até o final de Setembro deste ano. Portanto, a Nintendo que se prepare com o máximo de armas que puder para uma batalha colossal de portáteis. Sou suspeito em dizer, mas eu ainda fico e ficarei do lado da Nintendo.

[PCWorld EUA]

Categorias: GadgetsPortáteis
0