fragmento-prova-biblia-veridica_1

OBSERVAÇÃO: O objetivo desta matéria é apenas apresentar de forma neutra uma descoberta recente reportada hoje pelo jornal europeu Daily Mail. Este artigo não representa a ideia do redator. Respeitamos as ideias e formas de pensar de todos.

Um pequeno fragmento de cerâmica antigo encontrado em Jerusalém pode ser o item que faltava para provar que as histórias do velho testamento bíblico aconteceram de verdade. O fragmento é proveniente de um jarro de cerâmica, e nele há uma inscrição que, ao que tudo indica, trata-se de uma data. Pesquisadores acreditam que o fragmento prova que os reinados do Rei Salomão e de seu pai, o Rei David, realmente ocorreram.

O fragmento datado do século 10 AC, foi descoberto no final do ano passado, mas os cientistas até poucos dias atrás não conseguiam decifrar o significado daquela palavra estranha naquele pedaço de jarro quebrado. Após meses de trabalho, uma nova tradução lança luz sobre o conteúdo do frasco, sua qualidade e para quem se destinava: aos escravos – e revela de certa forma como era a sociedade na época. Veja mais imagens e detalhes a seguir:

fragmento-prova-biblia-veridica_3
fragmento-prova-biblia-veridica_2

A inscrição de oito letras foi gravada em um grande jarro de barro na segunda metade do século 10 AC, nos tempos bíblicos, e foi usado para armazenar vinho de baixa qualidade. Ele foi encontrado na área Ofel da cidade de Jerusalém, ao sul do Monte do Templo, após uma escavação feita pelo Instituto de Arqueologia da Universidade Hebraica de Jerusalém. A palavra escrita no fragmento do jarro estava incompleta, mas continha a palavra “yayin” ou “vinho”. A inscrição continha as letras ‘no ano […]M, vinho, porção, m[…]’, onde os “[…]” representam a parte incompleta das palavras.

O professor Galil, um dos historiadores que ajudaram a desvendar o mistério, explicou que a primeira palavra incompleta termina com ‘mem’, que é a parte final da palavra que representa o 20º ou 30º ano do reinado do Rei e efetivamente a data o vinho. A porção média ou “vinho, porção”, indica o tipo de vinho contido no frasco na língua de Ugarit do norte da Síria, uma palavra semelhante a “yayin”, ou seja, a mais baixa qualidade de vinho. A parte final foi cortada de uma palavra mais longa , mas o professor Gahil acredita que pode indicar de onde o vinho veio.

Galil disse recentemente ao The Archaeology News Network: “Este vinho não foi servido para os emissários de Salomão, ou no templo, mas era aparentemente dedicado aos trabalhadores escravos da construção civil que trabalhavam na área.” Os arqueólogos já sabem que vinho de má qualidade era servido a soldados e escravos construtores na época. Galil acredita que, baseado na data, a escultura foi produzida depois que o rei Salomão construiu o primeiro templo, seus palácios e muralhas da cidade.

fragmento-prova-biblia-veridica_4

A linguagem é, provavelmente, uma forma primitiva de hebraico, mas pode ser um dialeto intimamente relacionado ao falado em Jerusalém no século 10. Ele explicou que no momento em que a inscrição foi feita, a forma como as palavras eram escritas não tinha sido acordada, por isso algumas pessoas escreviam da esquerda para a direita (como no Português), enquanto outros escreviam na direção oposta, como no hebraico moderno e árabe. Enquanto o Professor Galil interpretava a inscrição da direita para a esquerda, outro acadêmico, o professor Christopher Rollinston o leu no sentido oposto, mas ainda assim foi difícil chegar a um significado claro.

“Independentemente do que a leitura da inscrição exatamente significa, atesta que alguém escreveu em hebraico (ou uma linguagem intimamente relacionada) no século 10, em Jerusalém, provavelmente por razões administrativas e obedecendo ordens”, disse o professor Christopher Rollinston. “O professor Galil sugere que isso indica que a inscrição foi feita por alguns da administração real (alguém com alguma função pública) e eu acredito que ele está correto”, completa.

fragmento-prova-biblia-veridica_5

A inscrição foi encontrada entre uma pilha de cerâmica (foto). O especialista Douglas Petrovich acredita que a linguagem é uma forma primitiva de hebraico, que sugere que os antigos israelitas estavam gravando a história muito mais cedo do que se pensava. Isto significa que as histórias da Bíblia do rei Davi e Salomão não foram transmitidas apenas oralmente na época como acreditam alguns, mas eram escritas, e as datas são precisas e estão de acordo com eventos registrados na Bíblia.

[Daily Mail]

veja também:
comentários

Curtiu? Acompanhe o
ROCK'N TECH no Facebook!