9 Estragos arquitetônicos causados pela estupidez humana

Por: - 27/07/15 às 04:10 pm
516 visualizações
-ListasArteComportamento

estragos-arquitetonicos_3c

Apenas uma semana depois que um vídeo viral apareceu na internet, dando a entender que um desastroso movimento com um pau de selfie havia transformado o Davi de Michelangelo em um membro mais recente dos Castrati (homens que eram castrados por amor à musica), resolvi fazer uma lista de infelizes ações humanas que fizeram com que alguns dos elementos arquitetônicos e monumentos mais destacados do mundo se transformassem em acidentes lamentáveis. Sim, desses que te fazem pensar “pára tudo que eu quero descer!”. Hoje iremos fazer um tour por todos esses “mal feitos” (ou não) provocados pela mão do homem e que terminaram ganhando um espaço no mundo da fama. Veja a seguir:

1. O Ecce Homo: a mãe de todos o desastres (Espanha)

estragos-arquitetonicos_1a

Se existe uma “cagada” mundial que mereça ser lembrada pelo tremendo assunto que rendeu em si, essa foi – sem dúvidas – a desastrosa mas muito divertida restauração do Ecce Homo da pequena região de Borja em Zaragoza, Espanha. Como se fosse um conto medieval, um dia qualquer e assim como quem não quer nada, uma vizinha chamada Cecilia Gimenes se ofereceu com seus pinceis para restaurar o Cristo com muita boa fé, mas com pouca luz. O resultado é que a pobre mulher “perdeu a mão” e converteu a deteriorada obra de arte em uma autentica mancha sem sentido (e até um pouco parecida com o Grito de Munch) que deu a volta ao mundo e que arrancou de todos (sim, temos que reconhecer… todos!) muitas gargalhadas.

estragos-arquitetonicos_1b

estragos-arquitetonicos_1c


2. O amor quase acaba com as pontes de Paris (França)

estragos-arquitetonicos_2a

Ainda que pareça que a publicação do livro “Sou louco por você” de Federico Moccia, seria somente um livrinho a mais para os jovens com os hormônios em festa, resulta que poucos meses depois as pontes de metade do mundo converteram-se em presa fácil para esses apaixonados que, dia após dia e hora após hora, faziam da pobre ponte testemunha obrigada de seu amor. Como? Colocando um bom cadeado. O fenômeno cresceu tanto que um “amor maior” significava “um cadeado maior”, por isso em algumas pontes foram vistos desde cadeados industriais até cadeados de moto e bicicleta (e viva a inteligência e a elegância humana). Efeitos colaterais? O destaque foi o parapeito da popular Pont des Arts de Paris que esteve a ponto (literalmente) de cair no vazio. Agora já podemos dizer que além de acabar com corações esmagados, o amor também acaba com as pontes. E claro, para evitar que a ponte se convertesse em uma lembrança do passado, a Prefeitura de Paris ordenou que todos os cadeados fossem retirados. Um drama total para os apaixonados…

estragos-arquitetonicos_2b

estragos-arquitetonicos_2c


3. Os Super-heróis invadem Sofía (Bulgária)

estragos-arquitetonicos_3a

Nunca antes um monumento dedicado ao sempre imponente exército soviético havia dado a volta ao mundo em forma de piada, assim como aconteceu com o localizado no Jardim do Rei, em pleno centro de Sofia (na Bulgária). Em 2011, e com uma mistura entre piada e raiva anti-soviética, alguns opositores (e também amantes da arte de rua) decidiram “customizar” o exército soviético no mais puro estilo super-herói americano. A estampa? Um colorido e mais que divertido monumento (tremendamente trabalhado, temos que concordar…) no qual não faltaram figuras como Superman, o Coringa, Mulher Maravilha, Volverine e outros compadres do universo infantil como Ronald Mc Donald ou Papai Noel. Mesmo sendo um claro ato de vandalismo, a verdade é que muita gente curtiu o resultado… e não é que ficou legal mesmo? =X

estragos-arquitetonicos_3b

estragos-arquitetonicos_3c



4. Um touro em Wall Street com os testículos desgastados (EUA)

estragos-arquitetonicos_4a

Ir para Nova Iorque e não comer o melhor cachorro quente do mundo ou tirar fotos na Times Square ou na Estátua da Liberdade, não é ir para Nova Iorque. Mas alguns vão além, a moda agora é apalpar os testículos do Toro de Wall Street. À ridícula foto em si (sim… todos ou quase todos os que estiveram ali fizeram isso e deram boas risadas) devemos somar a parte desgastada do assunto, sendo assim, se os 3.200 quilos do touro brilham lindamente com seu tom bronze, a realidade é que os testículos do pobre animal estão mais desgastados que a pedra pomes da casa da sua avó.

estragos-arquitetonicos_4b

estragos-arquitetonicos_4c


5. O grudento muro de chicletes que você não vai querer tocar (EUA)

estragos-arquitetonicos_5a

Sim, é nojento e por mais que você procure uma explicação – se levamos a sério – ela não existe. Além de ser o berço do Rock de Jimmy Hendrix e de contar com edifícios de ferro e vidro que são uma autentica maravilha, Seattle é também a sede de uma das “obras” artísticas mais famosas dos anos 90: O muro de chicletes. O muro em questão está localizado em Market Place Park e em uma área na qual todo mundo tinha que fazer fila para entrar no teatro ao lado. Pois bem, o que seria isso? Reações de protesto contra essa longa espera na fila? Você pega seu chiclete babado e cola na parede, assim de simples! Seja lá o que for, há tantos chicletes lá na parede que o lugar acabou se transformando em ponto turístico.

estragos-arquitetonicos_5b

estragos-arquitetonicos_5c


6. As pichações da Duomo que desagradariam Brunelleschi (Itália)

estragos-arquitetonicos_6a

Nessa rota pelos danos mais notáveis com autoria humana, nossa sexta parada é na sempre bela cidade de Florença, na Itália. Ainda que possa parecer que uma das mais monumentais cidades da Itália não seria vítima dos maus atos humanos, o fato é que na realidade isso é muito diferente. Basta dar uma olhada na cúpula da Catedral de Santa Maria di Fiore, se vê que alguém durante sua visita ali não tinha um papel para anotar um telefone (ou algo do tipo) e usou os milenários muros da cúpula como bloco de anotações. O pior? Que outros tantos seguiram o mesmo exemplo transformado o lugar em uma mistura entre algo lastimoso e um templo para a pichação desertora. Depois desta, Brunelleschi (arquiteto e escultor renascentista que projetou a catedral) deu uma volta e meia no túmulo!

estragos-arquitetonicos_6b

estragos-arquitetonicos_6c



7. Uma pequena Sereia com burca (Dinamarca)

estragos-arquitetonicos_7a

O toque feminino para nossa lista é dado por uma mulher que ganha nos sustos que já levou: nos referimos a Pequena Sereia de Copenhague. É uma dessas estatuas que podiam ser tocadas e fotografadas por estar localizada no nível da rua. Devido a isso, a pobre sereia acabou vivendo dias calamitosos. Um dia aparecia com uma burca, outro com uma capa (como se fosse ir curtir um Carnaval), outro dia pintada de rosa fúcsia e assim sucedeu por um bom tempo até que um “sem noção” resolvesse arrancar a cabeça da estátua. A solução que encontraram foi afastá-la da maléfica ação desses rebeldes humanos.

estragos-arquitetonicos_7b

estragos-arquitetonicos_7c


8. Como souvenir? Um pedaço da Grande Muralha (China)

estragos-arquitetonicos_8a

Está viajando para a China e procura um souvenir original de presente para sua família e amigos? O que você acha de trazer um desnecessário pedaço da Grande Muralha da China? Isso não é nem um conto Chinês, nem rumores… Que à mítica Grande Muralha (a mesma que brilha e é vista do espaço) falte uma boa quilometragem por descuido e pela erosão é um fato evidente. E claro, ficamos de olhos arregalados quando confirmam que essa outra quilometragem que falta é porque os locais roubam os tijolos para vende-los e porque algum turista, com poucas inteligência, decidiu converter uma pedrinha da Grande Muralha em seu novo peso de papel de presente. A pergunta é: em que mala colocam o tijolo se o peso máximo permitido em aeroportos são 32 quilos por pessoa?

estragos-arquitetonicos_8b

estragos-arquitetonicos_8c


9. Os modelitos inigualáveis do Manneken Pis (Bélgica)

estragos-arquitetonicos_9a

A estatua de bronze do Manneken Pis ocupa um lugar especial nessa lista de “calamidades humanas”, um verdadeiro fashion victim da vida com seu pouco mais de meio metro. Isso porque as pessoas sentem pena de que o pobre pegue frio ou por sei lá o que, o fato é que o menino mijão mais conhecido do mundo é o manequim perfeito com o qual se divertem turistas malucos que um dia o convertem na viva imagem de Elvis anão, em um torcedor de futebol, em um experiente corredor de San Fermines ou até em um saxofonista precoce com incontinência. Ainda que a brincadeira esteja bem trabalhada, a grande dúvida é: Como fazem para colocar a calça e os sapatos se o Manneken Pis está preso? Adivinhe se for capaz!

estragos-arquitetonicos_9b

estragos-arquitetonicos_9c

[Habitíssimo]


Publicidade


veja também:
comentários

Curtiu? Acompanhe o
ROCK'N TECH no Facebook!

close-link